ORACLE X SQL Server

Comparativo: Oracle x SqlServer

Fonte: Officer Distribuidora – Fev/2010

A divisão da memória em sub-caches é semelhante.

a)      No Oracle existe os processos de background conectando áreas de memória com areas de disco

b)      No Sql Server temos threads que fazem esse papel

2-) Databases (Áreas de Memória)

Oracle

SQL Server

Gerenciamento de Memória ORACLE
a)      SGA_TARGET
quando esse parâmetro é configurado automaticamente é definido valores para:
shared_pool, buffer cachê, large pool, entre outros.
b)      SGA_MAX_SIZE
especifica a utilização de memória máxima de todos os componentes de memória

Gerenciamento de Memória SQL Server
Libera dinamicamente a memória de cache de dados, definidas pelos parâmetros:
a)     min server memory – A opção de configuração de servidor min server memory pode ser usada para garantir que o SQL Server não libere memória abaixo da memória de servidor mínima configurada quando o limite for atingido.
b)      max server memory – pode ser usada para especificar a quantidade máxima de memória que o SQL Server pode alocar ao ser iniciado e durante sua execução.

4-) Locks:
O gerenciamento de locks no Oracle é realizado através do Header (Cabeçalho) do bloco e é sempre o menor possível: lock de linha, não utiliza memória.

O Gerenciamento de Locks do SQL Server é realizado via Manager Locks é definido uma área de memória para o gerenciamento. Quando uma tabela está com várias linhas lockadas (por exemplo sofrendo atualização) o SQL Server pode optar, para utilização de menos memória, lockar essa tabela inteira.

5-) Arquitetura lógica e física
Estrutura física

Estrutura lógica:

6-) Configurações
a)      Oracle:
Oracle usa a porta default  1521.

Usa o Assistente de Configuração
do Oracle Net para a configuração do listener, Métodos de Nomeação, nomes de
serviço de Rede local.

b)      SQL Server:
O SQL Server utiliza a porta 1433.

Usa o SQL Server Configuration Manager para habilitar ou desabilitar os protocolos do SQL Server e configurar as opções disponíveis para os protocolos. É possível habilitar mais de um protocolo. É necessário habilitar todos os protocolos que você deseja que os
clientes usem. Todos os protocolos têm acesso idêntico ao servidor.

Para o client estabelecer uma conexão, deve-se configurar o server name, database name, e a porta no data source ou na conexão de string não DNS.

7-) Conceitos: Truncate, DDL ou DML ?

😎 Recomendação para grande cargas de dados
a) Oracle
Para grande inserção de dados, apagar índices, inserir dados e recriar os índices

b) Sql Server 2000
Se a quantidade de dados carregado for maior do que a quantidade de dados já existente na tabela, excluir índices antes da carga e posteriormente recriá-los.

Já se a quantidade de dados a se carregar for menor que a quantidade de dados já existente na tabela, não é necessário apagar os índices.

Atualização dos índices não é feito linha-a-linha.

c) Sql Server 2005 e 2008
Para grande inserção de dados apagar índices
Mais parecido com o Oracle, atualização feita linha-a-linha

Sobre oradeep

José Eduardo Fiamengui Júnior Graduação: Tecnologia em Informática pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Pós-Graduação: Administração em Banco de Dados Oracle pelo Instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada (IBTA) Mba em Gestão Estratégica em TI pela FGV OCE Certified ITIL Certified Empresa Atual: Dba Oracle e Performance Specialist na Ccee Empresa Atual: Instrutor Oracle IBTA
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s